Notícias

Representantes dos comitês de ciências humanas do CNPq destacam a relevância das áreas para o desenvolvimento do país

Pesquisadores que integram os Comitês Assessores das áreas de Ciências Humanas, Sociais Aplicadas, Educação e Artes da CNPq entregaram carta à presidência da agência de fomento, reiterando a relevância científica, social e econômica destas áreas para o futuro do país.
 
“As pesquisas nestas áreas têm contribuído, no Brasil e no mundo,  para o desenvolvimento do conhecimento e a preservação do  patrimônio cultural, sobretudo  para a compreensão dos problemas que enfrentam as sociedades atuais na construção da vida democrática, na redução das desigualdades sociais e fortalecimento da cidadania”, destacam os pesquisadores no documento.
 
De acordo os membros dos comitês, estes campos do conhecimento têm contribuído para melhor compreensão, por exemplo, da relação entre políticas públicas e a saúde da população, dos entraves ao desenvolvimento social e econômico, e das peculiaridades da formação histórica da sociedade brasileira e do pleno funcionamento das empresas e mercado.
 
“A produção científica das áreas de Ciências Humanas, Sociais Aplicadas, Educação e Artes é indispensável para uma educação crítica e emancipadora, que preserve os valores da nossa produção cultural, na literatura e nas artes e patrimônios linguísticos. Contribui ainda para o enfrentamento dos desafios éticos presentes na contemporaneidade, face às inovações tecnológicas”, defendem.

Na opinião dos pesquisadores, nos países economicamente avançados, as Ciências Humanas e Sociais, assim como as Artes, têm sido desenvolvidas em paralelo às Ciências da Natureza, à Matemática, às Ciências da Saúde e às Engenharias, sem  conflitos artificiais entre distintos campos do conhecimento.

“A produção científica requer que as sociedades, particularmente os Estados e suas instituições, respeitem a liberdade e a autonomia de sua comunidade acadêmica e científica para a produção e difusão do conhecimento, particularmente por meio da educação, formadora das novas gerações. As nações que possuem maior registro histórico continuado de produção de novos conhecimentos são aquelas que têm sido capazes de assegurar liberdade e autonomia de seus pesquisadores”, destacam.
 
Os integrantes dos comitês destacam que nestes 60 anos, o CNPq, tem fomentando as  Ciências Humanas, Sociais Aplicadas, Educação e Artes, “tendo inclusive incluído em seus planos de ação e de desenvolvimento a criação de uma diretoria para estes campos do conhecimento. Nós, os pesquisadores que subscrevemos este documento, bem como a comunidade que representamos, temos expectativa e confiança de que esta instituição, que é um patrimônio da sociedade brasileira, continue no futuro a desempenhar este papel”.
 
Assinam o documento os Comitês de Assessoramento: Artes, Ciência da Informação e Comunicação (AC); Psicologia e Serviço Social (PS); História (HI); Filosofia (FI); Letras e Linguística (LL); Antropologia, Arqueologia, Ciência Política, Direito, Relações Internacionais e Sociologia (CS); Educação (ED); Arquitetura, Demografia, Geografia, Turismo e Planejamento Urbano e Regional (SA); e Administração, Contabilidade e Economia (AE)
 
 

Manchete

Em carta entregue à presidência do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, pesquisadores afirmam que “a produção científica das áreas de Ciências Humanas, Sociais Aplicadas, Educação e Artes é indispensável para uma educação crítica e emancipadora, que preserve os valores da nossa produção cultural, na literatura e nas artes e patrimônios linguísticos”.


Postado

5.dezembro | 2018


Tags

cnpq; pesquisadores; carta; ciências humanas;


Imprimir


Compartilhar


Filiar-se

Newsletter

(48) 99944.0103 (WhatsApp)
(48) 3234.2844 e 3234.5216 (Max & Flora)
(48) 3721.9425 e 3234.3187 (Campus Trindade)
(47) 3027.7992 (Joinville)
(49) 3241.4181 (Curitibanos)
(48) 3524.0228 (Araranguá)
(47) 3234.1866 (Blumenau)

 

© APUFSC Sindical

Designed & Created by: Hupx Tecnologia Powered by: Dynamicweb