Notícias

UFSC inaugura novo campus em Joinville

APUFSC

Quando a professora Cátia Regina Silva de Carvalho Pinto assumiu a direção geral do campus de Joinville, em abril de 2014, tinha ciência de que enfrentaria muitos desafios, principalmente na questão de infraestrutura. Naquele momento, a UFSC funcionava em cinco prédios alugados na região central da cidade e um terreno de aproximadamente 30 hectares para a instalação de sua sede própria, doado pelo governo estadual e municipal.

A presença da universidade federal no interior do estado foi concretizada em 2008, por meio de recursos do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais Brasileiras (Reuni). A UFSC Joinville iniciou suas atividades em 4 de agosto de 2009, na gestão do reitor Álvaro Toubes Prata. A sua administração acompanhou as obras iniciais da sede própria: Biblioteca, Restaurante Universitário, Bloco Administrativo e salas de aula, etapa que era para estar pronta até março de 2011, com o intuito de recepcionar os primeiros 800 estudantes. Porém o cronograma não avançou e se estendeu para o próximo ano.

As obras do novo campus universitário na conhecida “Curva do Arroz”, às margens da BR-101, atualmente estão paralisadas, sem perspectiva de retomada da construção e do recurso previsto pelo Governo Federal.

O sonho de construir sua própria sede não está abandonado, somente não será possível nos próximos anos por restrição orçamentária do Ministério da Fazenda para todas as obras de custeio no país.

O desejo da UFSC e o motivo pelo qual este projeto estagnou são esclarecidos pelo secretário de Planejamento e Orçamento (Seplan), Vladimir Arthur Fey, que “como independe da vontade da instituição, por isso aguardamos o repasse de 40 milhões e outras formas de solucionar a demanda por estrutura física no norte do estado”.

Até dezembro de 2011, a UFSC permaneceu nas instalações físicas da Universidade da Região de Joinville (Univille). Com o crescimento natural e a elevação do número de cursos, alunos e servidores, consequentemente, surgiu a necessidade de uma estrutura maior. O próximo deslocamento foi para o bairro Santo Antônio, onde a UFSC ficou de 2012 até o vencimento do contrato de aluguel dos cinco blocos, que ocorre neste mês de março de 2018.

A estadia no bairro residencial começou a apresentar entraves à gestão do campus. A diretora Cátia cita alguns como o ruído dos equipamentos de mecânica pesada, característicos dos cursos, vinha provocando reclamações dos moradores e do órgão responsável; o Restaurante Universitário funcionava em outro local; a falta de espaço e pagamento para a realização das formaturas e; o mais preocupante para ela, não estar diariamente próxima das demandas.

Além dos fatores que não o caracterizavam como um campus universitário, Cátia relembra que, “em 2015, o proprietário de um dos blocos pediu aumento do valor do aluguel. Como não era possível para a Universidade custear a despesa, nem estava previsto no contrato um acréscimo que não fosse pelo IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), o dono afirmou que iria pedir o prédio”. A solução foi buscar outras opções e entre elas, a proposta do condomínio multissetorial Perini Business Park, no Distrito Industrial de Joinville.

Em março de 2016, o grupo empresarial apresentou o projeto arquitetônico, feito especialmente para atender as demandas acadêmicas e administrativas da UFSC e com base no da “Curva do Arroz”. Com a troca de gestão em maio daquele ano, o reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo incorporou o grupo envolvido e foi o maior apoiador da transição. Em sua opinião, a ideia era vanguarda e servirá de modelo para outras instituições de ensino.

A UFSC colocou como exigência de que o custo pela nova estrutura não poderia ultrapassar o orçamento programado para o campus no endereço anterior. Foram feitas as devidas análises para viabilidade operacional e jurídica do processo, tanto da empresa como de setores da instituição. Em consulta à Procuradoria Federal junto à Universidade, confirmou-se a possibilidade de utilização da “Locação sob Medida” por meio de licitação dispensável. Uma modalidade de contratação comum na Administração Pública e permitida pelo Tribunal de Contas da União (TCU). E a economicidade foi um dos princípios que o Ministério da Educação (MEC) avaliou para aprovar o projeto.

A gestora do campus destaca que “a escolha deste tipo de contratação foi importante, pois coube à empresa entregar tudo pronto, móveis, ar-condicionado, rede lógica e elétrica, e até bebedouros. Estamos devolvendo à UFSC o patrimônio utilizado nos blocos”.

As obras no Perini foram iniciadas em julho de 2017 para entrega total em fevereiro de 2018. A permanência no condomínio ficou determinada para cinco anos e custo de locação de R$ 412 mil mensais. O secretário Vladimir afirma que “essa mudança não trará custo adicional nenhum para a Universidade”. E para chegar neste ponto, explica que “não foi uma decisão da direção de Joinville, nem da Reitoria, aconteceu de forma compartilhada e se materializa na inauguração”, realizada nesta segunda-feira, 5 de março. Para ele, “a experiência se prolongará para o campus de Blumenau”.

Muitos fatores pesaram na decisão coletiva da UFSC: unificação e aumento da infraestrutura física em Joinville, desenvolvimento regional, prospecção da universidade, custo-benefício, conservação da identidade institucional, receita com os serviços concedidos para alimentação e reprografia, economia em áreas como a de Vigilância e Manutenção, criação de espaço de convivência e quadra de esportes, uso de equipamentos do condomínio, amplo estacionamento, interação entre universidade e indústria e oportunidades de parcerias com as 150 empresas do complexo para alavancar as áreas de ensino, pesquisa e extensão.

Para Marcelo Hack, presidente do Perini, “trata-se de um divisor de águas para o complexo e que o grupo vislumbra um novo ciclo de negócios com a implantação inovadora da primeira universidade federal em um parque industrial”.

Hack, a diretora do Centro Tecnológico de Joinville, o reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, o prefeito municipal Udo Döhler, e o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar, formalizaram a mudança no dia 2 de setembro de 2017.

A área construída possui três mil metros quadrados a mais em relação à anterior. A empresa cumpriu o projeto e o cronograma da obra e, com uma semana de antecedência, os servidores realizaram a mudança e os ajustes para começar o funcionamento no novo endereço.

A estrutura reforça o foco principal da UFSC Joinville – formar engenheiros de alta competência técnica e gerencial em sistemas de transporte. Para tanto oferece oito cursos de graduação, dois mestrados em Engenharia e Ciências Mecânicas e de Sistemas Eletrônicos e uma Especialização em Ciência e Tecnologia.

Cursos de graduação:

Bacharelado Interdisciplinar em Mobilidade
Engenharia Aeroespacial
Engenharia Automotiva
Engenharia Ferroviária e Metroviária
Engenharia Mecatrônica
Engenharia Naval
Engenharia de Infraestrutura
Engenharia de Transportes e Logística

Blocos:

Bloco U (salas de aula, salas de professores, auditórios, ampla área administrativa e biblioteca) com 8.581,48 m²;

Bloco O1 (laboratórios e equipes de competição) com 2.482,06 m², e

Bloco RU (Restaurante Universitário, área de convivência e bicicletário) com 1.792,98 m².

A área externa aos blocos é cercada e comporta 771 vagas de estacionamento (23 vagas para pessoas com deficiência e 39 para idoso), bicicletário coberto com 183,54 m² e descoberto com 350 m², uma quadra poliesportiva cercada e iluminada, uma pista de testes com 1.700 m², um boulevard de acesso aos blocos e uma praça, ambos arborizados.

Uma nova rotina

Alunos, professores e técnicos-administrativos, uma comunidade de quase 2 mil pessoas, que estudam e trabalham no Centro Tecnológico de Joinville, terão suas rotinas modificadas, no próximo dia 12 de março (segunda-feira), data de retorno das aulas.

A UFSC, diante dos imprevistos e das dificuldades de locomoção, ajustou o horário das aulas no período matutino, que será das 8h40 às 12h10. O Centro se localizará a mais de seis quilômetros de distância do endereço anterior. Cátia aponta que esta é uma das preocupações da atual direção, já que haverá aumento do preço da passagem. Verificou-se com a Prae (Pró-Reitoria de Assistência Estudantil), a possibilidade de complementação financeira para os alunos que já recebem auxílio e estão em faixas econômicas mais vulneráveis. Também foi feita uma reunião com o prefeito de Joinville para fornecimento de um subsídio de 50% para a passagem. “Estamos fazendo a nossa parte e cabe ao aluno também fazer pressão. Alguns estudantes já até criaram softwares de carona”, reforça. O estacionamento possui 670 vagas para alunos e 87 para professores.

Como chegar

De carro: Rua Dona Francisca, 8300, Distrito Industrial de Joinville

De ônibus, a partir do Terminal Norte:

  • Linha 0428. Direto para o Perini e entra no Condomínio.

  • Linhas 0160, 0161 e 0204 passam em frente ao Condomínio.


O Perini disponibiliza uma linha de ônibus interna que circula constantemente dentro do condomínio e pode ser utilizada gratuitamente na entrada principal para ir até a UFSC Joinville.

Custo-benefício

Os gestores Cátia e Vladimir confirmam a informação de que os aluguéis pagos pelos cinco blocos, já com o aumento anual, sairia em torno de R$ 380 mil reais. “No Perini, o custo total é de 412, mas com a concessão dos espaços do Restaurante Universitário, de três lanchonetes e de uma Reprografia, a receita da UFSC será maior do que antes”. O RU era uma antiga reivindicação, assim como os outros serviços. “Se compararmos a área construída com os adicionais 3 mil m², verifica-se que de fato temos um preço por metro quadrado de locação em torno de 25% mais barato”, destaca Vladimir.

E chamam a atenção para alguns dados. Havia um contrato anual de quase R$ 1 milhão para a segurança dos cinco prédios. O Perini irá fornecer o serviço e a universidade economizará cerca de R$ 700 mil ao ano. Outro ponto que contribui para a redução de custos é que a nova estrutura possui dois auditórios de 200 lugares, separados por uma parede central removível, para se tornar um grande espaço para a realização de formaturas promovidas pela própria UFSC, sem recorrer a serviços terceirizados.

Comunidade universitária

1.660 alunos de graduação
100 de pós-graduação
46 técnicos-administrativos
101 professores

Apufsc-Sindical

Presidente da Apufsc, Wilson Erbs, e o Secretário Geral, Jovelino Falqueto, prestigiaram o evento. Para melhor atender os professores sindicalizados que lecionam no campus, a Diretoria do Sindicato estuda a transferência da sede do Sindicato em Joinville para mais próximo da Universidade.

Mais informações: joinville.ufsc.br
 

 Fonte: Agecom/UFSC, com complemento da Apufsc-Sindical
 

Manchete

Solenidade contou com a presença de diversas autoridades. A Apufsc-Sindical foi representada pelo presidente, professor Wilson Erbs e pelo secretário geral, professor Jovelino Falqueto


Postado

6.março | 2018


Tags

ufsc; joinville; inaguruação; novo campus


Imprimir


Compartilhar


Filiar-se

Newsletter

(48) 99944.0103 (WhatsApp)
(48) 3234.2844 e 3234.5216 (Max & Flora)
(48) 3721.9425 e 3234.3187 (Campus Trindade)
(47) 3027.7992 (Joinville)
(49) 3241.4181 (Curitibanos)
(48) 3524.0228 (Araranguá)
(47) 3234.1866 (Blumenau)

 

© APUFSC Sindical

Designed & Created by: Hupx Tecnologia Powered by: Dynamicweb