Artigos

Maio, 1968

“O que devemos é apressar o fim do inverno de nossa infelicidade, parafraseando a famosa frase de Shakespeare no “Ricardo 3”, e fazer surgir uma nova primavera”
(Renato Janine Ribeiro)
(Em 10 de maio de 1968,
estudantes ocupavam a Sorbonne.)
Desejávamos soprar a poeira da eternidade.
Seja realista: exija o impossível,
passeatas, cassetetes, éramos eternos.
Comíamos o pão de cada dia
com a flor da utopia na lapela.
“A imaginação no poder”,
mas nossos amigos não estão no poder.
Destinos rabiscados, entes descartáveis,
grãos de areia na imensa praia global.
E o passado não passou.
Fragmentados, ilhados: o barco fez água,
comitês de sonhos viraram praças de
vorazes burocratas,
o povo servindo aos donos da pátria,
crendo que a servem.
Che Guevara saiu saiu da guerrilha para triunfar
nas camisetas.
Num muro, li:
“Acorda, Lênin: eles enlouqueceram.”
50 anos, sim – meio século.
A barricada fecha a rua, mas abre a via.
Cerração dissipada, pipa no céu, regata assistida aos sete anos: outrora/agora.


Emanuel Medeiros Vieira
Escritor

Postado

28.maio | 2018 | Emanuel Medeiros Vieira


Tags

artigo; opinião


Imprimir


Compartilhar


O conteúdo dos artigos assinados é de responsabilidade dos autores.

Filiar-se

Newsletter

(48) 99944.0103 (WhatsApp)
(48) 3234.2844 e 3234.5216 (Max & Flora)
(48) 3721.9425 e 3234.3187 (Campus Trindade)
(47) 3027.7992 (Joinville)
(49) 3241.4181 (Curitibanos)
(48) 3524.0228 (Araranguá)

© APUFSC Sindical

Designed & Created by: Hupx Tecnologia Powered by: Dynamicweb