Artigos

O estranho olhar do meu gato

Sim: aquele gato preto tinha um olhar estranho.
Olhava a gente com perspicácia, lia-nos lá dentro – extrema fundura.
Sabia de tudo.
Mas esse olhar era também de piedade.
TENDES MISERICÓRDIA DE MIM E DO MUNDO INTEIRO!
 
Na penúltima vez em que fui internado, carregaram-me, mas ainda pude ver da porta o seu olhar – agora de uma compaixão enorme.
Estava à beira da morte, mas safei-me.
Era um safar-se constante.
Acariciei-o, alimentei-o – amava-o.
Não tinha nome o bichano.
E ele percebia tudo antes de nós.
Seu ronronar era suave, até melancólico – revoltado?
Os donos e seus gatos se parecem, já disseram.
TENDES MISERICÓRDIA DE MIM E DO MUNDO INTEIRO!
 
No dia da minha morte, antes de fechar os olhos e deixar esse absurdo mundo, sei que vou vê-lo.
Seu olhar indicará um sorriso, uma compaixão, como se estivesse dizendo: “é hora de descansar”.
Pois então descansarei, meu amigo. Até logo! Somos rápidos nessa passagem, meu irmão.


Emanuel Medeiros Vieira
Escritor

Postado

9.abril | 2018 | Emanuel Medeiros Vieira


Tags

poema;. artigo; conto


Imprimir


Compartilhar


O conteúdo dos artigos assinados é de responsabilidade dos autores.

Filiar-se

Newsletter

(48) 99944.0103 (WhatsApp)
(48) 3234.2844 e 3234.5216 (Max & Flora)
(48) 3721.9425 e 3234.3187 (Campus Trindade)
(47) 3027.7992 (Joinville)
(49) 3241.4181 (Curitibanos)
(48) 3524.0228 (Araranguá)

© APUFSC Sindical

Designed & Created by: Hupx Tecnologia Powered by: Dynamicweb